Abrafarma Future Trends 2021: aprendizados de um congresso digital

Alguns dos grandes desafios trazidos pela pandemia de Covid-19 puderam ser contornados pelo uso de tecnologia.

Foi a ela que a produção da Abrafarma Future Trends, recorreu para que houvesse evento neste ano de 2021. O congresso da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) teve audiência, em seu primeiro dia de programação, de 11.812 participantes, segundo o Panorama Farmacêutico.

Na semana de 13 a 17 de setembro, tivemos a oportunidade de assistir a painéis entre representantes de grandes redes de farmácia, palestras nacionais e internacionais, e exposições da indústria farmacêutica.

Tecnologia não foi só a solução para que tantas pessoas se reunissem, também foi um tema que serviu como fio condutor para pensar a farmácia do futuro.

Assim como na versão presencial, o evento contou com um salão de exposições, por onde o visitante poderia passear e conferir as novidades das indústrias.

Para tomar conta do nosso stand, criamos a Manu, nossa assistente virtual que apresentou cada pedacinho do nosso espaço digital: a apresentação de nossa sede, a loja que adotou nosso novo conceito de layout (que apresentaremos em breve em nosso site), os balcões da linha Master, e nossa solução para o gerenciamento de dermocosméticos.

Confira alguns destaques do evento:

1) Omnicanal: nos últimos anos houve um esforço importante do segmento para chegar ao cliente por meio de vários canais além da loja física, como as opções de delivery, os aplicativos próprios, aplicativos que atendem a “última milha”, etc. A ideia é que todas essas formas de atendimento possam ser integradas, diminuindo o atrito na relação com o cliente;

2) Fidelização e LGPD: a fidelização dos clientes por meio de programas de desconto e atendimento personalizado já é uma nítida faceta da economia movida a dados que diversas redes vêm desenvolvendo. Mas ao passo que os dados se tornam um recurso para a tomada de decisões das empresas, a adequação à Lei Geral de Proteção de Dados também torna-se essencial;

3) Cliente no centro e patient design: muito se fala em colocar o cliente no centro das decisões para o futuro do segmento, e a esse conceito, o Dr. Bertlan Meskó, médico húngaro diretor do instituto The Medical Futurist, propõe mais uma camada. É o “patient design”, que significa envolver realmente o paciente em decisões das empresas voltadas à saúde.

Agradecemos à organização do evento e a todos que visitaram nosso espaço na Abrafarma Future Trends. Como disse a Manu: "no ano